quinta-feira, 1 de abril de 2010

Educação e Qualidade

Frank V. Carvalho

Educação e qualidade. Este binômio tem sido a meta das instituições de ensino de entidades públicas e privadas, bem como da educação (de uma forma geral) em muitos países já há um bom tempo.


Às vezes, esta busca da qualidade educacional parece uma utopia, tal o distanciamento que a prática tem em relação à teoria.

A novidade é que o governo do Estado de São Paulo se propõe a fazer uma revolução nessa área atrelando aumentos salariais à performance dos professores em avaliações de conhecimento.

Qual é o mais sábio: avaliar professores em função da aprendizagem e rendimento de seus alunos (verificados em testes externos) ou avaliá-los em função de seus conhecimentos da matéria que lecionam?

Acho válida a busca da qualidade, a melhoria do ensino, a diminuição do absenteísmo e a valorização do mérito. Mas qual é o caminho mais adequado e inteligente?

Continuarei minha análise.

Um comentário:

Carlos H. disse...

Frank,

Creio que o foco não deve ser apenas no professor, mas também em outros profissionais envolvidos, como o diretor da escola, que normalmente tem experiência pedagógica mas parcos conhecimentos administrativos.

Se o desempenho de um diretor estiver atrelado ao desempenho dos professores e dos alunos, poderia ser criado um circulo virtuoso pra lá de benéfico.

Claro que o assunto é muito mais profundo do que foi esse comentário, mas em se tratando de Brasil, só de ponderar-se sobre a meritocracia na educação, já temos um avanço!

Abraço.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...